jump to navigation

Sebrae lança site para ajudar empresário a conhecer seu mercado junho 14, 2009

Posted by Viviane Danin in marketing.
Tags: ,
1 comment so far
Site Acesso a Mercados do Sebrae

Site Acesso a Mercados do Sebrae

Acaba de ir ao ar o site no portal do Sebrae o site Acesso a mercados. O objetivo da página é manter o empresário de micro e pequenas empresas informado sobre os temas que o ajudarão a acessar o seu mercado. O site divulga ainda informações sobre os projetos apoiados pelo Sebrae nessa área, além de cursos, treinamentos, palestras.
São quatro menus principais com informações variadas sobre estratégia de mercado, marketing, consumidor, concorrentes, fornecedores, pesquisa de mercado, divulgação de produtos, vendas, marca, design, inovação.
Navegue pelo site de Acesso a mercados e depois dê sua opinião aqui sobre os vários temas que compõem o site.
Site Acesso a mercados do Sebrae

Site Acesso a mercados do Sebrae

Acaba de ir ao ar o site no portal do Sebrae o site Acesso a mercados. Foram dias e dias de trabalho duro mas acho que o resultado final foi positivo.

O objetivo da página é manter o empresário de micro e pequenas empresas informado sobre os temas que o ajudarão a acessar o seu mercado. O site divulga ainda informações sobre os projetos apoiados pelo Sebrae nessa área, além de cursos, treinamentos, palestras.

São quatro menus principais com informações variadas sobre estratégia de mercado, marketing, consumidor, concorrentes, fornecedores, pesquisa de mercado, divulgação de produtos, vendas, marca, design, inovação.

Conheça o site de Acesso a mercados e depois dê sua opinião no blog Mercado ao seu alcance, também de responsabilidade dos técnicos da área de Acesso a mercados do Sebrae.

Anúncios

Desvendando números novembro 15, 2008

Posted by Viviane Danin in marketing, Planejamento.
Tags: , , , ,
8 comments
Ruy Caneiro durante curso de Webanalytics em Brasilia no Sebrae Nacional

Ruy Caneiro durante curso de Webanalytics em Brasília no Sebrae Nacional

Os números dos seus sites estão todos aí. É preciso desvendá-los, entendê-los e usá-los a seu favor

Fiz essa introdução para dizer que estive nos dias 13 e 14 passados com parte da equipe do Núcleo Internet do Sebrae Nacional em Brasília, em curso de webanalytics, ministrado por Ruy Carneiro

Ruy é formado em Análise de Sistemas com MBA em Administração e Marketing. É sócio fundador da WA Consulting, empresa brasileira especializada em WebAnalytics. Fora isso, ele tem um extenso currículo como professor de MBA, executivo de marketing e vendas do Ibope, IBM e por aí vai. Ele une em seu perfil profissional a formação em TI e em marketing, o que muito facilitou sua entrada no tema métricas e logicamente em como aplicá-las para beneficiar o negócio. O Ruy também escreveu vários artigos bacanas no Webinsider. Vale a pena lê-los!

Foram dois dias de intenso aprendizado. Muitas coisas novas aprendi e outras obscuras esclarecidas. Outras nem tanto. O curso foi mais direcionado para como implantar e usufruir de tudo o que oferece o Google Analytics. Ou seja, foi bem técnico, o que me fez “voar” em vários momentos. 

Não vou aprofundar sobre o curso nesse post, preciso de tempo e de prática para digerir tudo que ouvi nesses dois dias. É importante saber que qualquer software de métricas (o do Google ou qualquer outro) mostra o problema. Ele identifica o ponto do problema mas não dá a solução. Para encontrar a solução é preciso de teste e de muita análise junto. Ou seja, muito sangue, suor e lágrimas. É complexo mesmo!

Saber usar todas as possibilidades que esses softwares oferecem não é tarefa fácil, mas é item essencial para o profissional que atua em internet. Falo sério!

É preciso dizer ainda que deve-se muito ao Google Analytics, o software gratuito do Google, a revolução do tema métricas no Brasil e no mundo. Segundo Ruy, 80% dos sites nos Estados Unidos usam o programa para mensurar seus sites. Muitas empresas usam o GA e outro analytics mais profissional como complemento.

Vamos estudar, galera!

Algumas fotos durante o curso:

estamos entendendo tudo!

Olha a cara de felicidade de Alexandre, Fábio e Henrique: estamos entendendo tudo!

O pessoal da TI da Câmara também prestigiou o curso. Roberta Rabay foi uma delas. Nessa foto também Vicente, Renata, Chico, Olivia...
O pessoal da TI da Câmara também prestigiou o curso. Roberta Rabay foi uma delas. Nessa foto também Vicente, Renata, Chico, Bruna, Olívia…

Para onde uma empresa de serviço pode avançar outubro 22, 2008

Posted by Vicente Tardin in marketing.
Tags:
add a comment

Ao pensar em seu futuro, uma empresa de serviços não pode mais se ver como uma empresa de serviço. Seria este o caminho errado.

Melhor que ela deixe de ser uma empresa de serviços e se torne uma empresa gestora de comunidades que tenta resolver determinados problemas de seus prosumidores.

Assim, neste exemplo, uma telecom seria gestora de comunidades de usuários de equipamentos móveis. E deixaria seu usuário fazer ele mesmo o seu próprio plano e escolher com quem quer falar mais barato, como se fosse um Orkut ou um Twitter.

É o que diz o Carlos Nepomuceno no Webinsider.

Banners e links patrocinados em sites de conteúdo outubro 15, 2008

Posted by Viviane Danin in marketing.
Tags:
1 comment so far

Sites de conteúdo que vivem de publicidade podem obter receita com banners, pagos por impressão ou por resultados, também com links patrocinados. Os grandes conseguem bons resultados.

Leiam meu artigo publicado no Webinsider em agosto de 2008.

Natura: exemplo de marca bem construída outubro 9, 2008

Posted by Viviane Danin in marketing, Publicidade.
Tags: ,
add a comment

Na minha opinião, a Natura é uma das marcas brasileiras que melhor se posicionou no mercado em termos de estratégia bem sucedida de marketing. 

Ela inovou ao pegar carona nas questões ambientais tão emergentes nos últimos tempos. Se estabeleceu como empresa que contribui para a preservação do meio ambiente e que tem uma preocupação social de também gerar renda para comunidades. 

Além de criar produtos inovadores que trazem novas respostas e sensações aos usuários, a Natura entendeu bem que quanto mais tempo o consumidor passar com sua marca, maior será o valor dela.

É fato que o consumidor mudou, tem menos tempo para propaganda. É preciso fazer com que ele tenha uma experiência especial ao consumir a marca.  

Nesse contexto, a Natura conseguiu através do bem elaborado design passar a sensação para seus clientes de que ao consumir seus produtos também estão contribuindo pela busca de uma sociedade sustentável e, ao mesmo tempo, ser uma ferramenta estratégica para grandes e audaciosos empreendimentos.

Segundo Mônica Sabino, em artigo para o site Webinsider, “uma marca ou brand é a percepção dos consumidores sobre um produto, serviço, experiência ou organização. Não o que os profissionais de marketing pensam que a marca é, mas o que ELES, os consumidores acham que ela é”.

E completa: “Portanto, por princípio, não existe marca em um escritório de design. Ou num boardroom. A marca está nas ruas, nas casas, sendo vivida e experimentada. O design, o sistema de identidade de uma marca, é sim, importantíssimo, crucial.  É fazer com que um potencial consumidor perceba a marca como a única solução para o que ele busca. A única escolha lógica para o que ela está oferecendo”. 

E disse mais: “E não adianta ser apenas diferente. Diferente é ótimo, claro. Nossa atenção vai direto para o que é diferente. Tem que ser relevante. Tem que ser solução. E não porque eu digo, mas porque o consumidor, o usuário está dizendo”.

Ou seja, para as marcas, é preciso saber inovar.

Mas fazê-lo a partir de uma percepção da necessidade de uma visão mais holística que agregue valores de comunidade, educação de qualidade, biotecnologia, sustentabilidade e respeito ao consumidor. 

Isso foi exatamente o que a Natura buscou fazer com sua marca.

Quais foram as suas principais ações e linhas estratégicas? Por que elas fucionaram?

Efetuar a distribuição através de consultoras e não através de lojas. A mudança na cadeia de distribuição  por sua vez ajuda a gerar renda para a comunidade e reforça uma certa qualidade não industrial. 

Apoiados em design e bons produtos, a estratégia de comunicação foi bem desenvolvida e bem sucedida, considerando os resultados obtidos pela companhia, que segue em expansão.

Exemplo de produto que agrega uma experiência ao consumidor 

Uma saboneteira e uma bucha de banho num único produto, é o casamento feliz de dois materiais (a bucha vegetal da Eco Buchas e o couro vegetal da Treetap) . Neste objeto, o sabonete fica alojado em seu interior. Para produzir espuma, basta esfregar a saboneteira no corpo com água. O fato de o sabo¬nete ficar alojado em seu interior evita que a mão resseque pelo excesso de contato com o produto e facilita o manuseio, uma vez que o sabonete já esta preso à esponja.

Saboneteira esfoliante: uma saboneteira e uma bucha de banho num único produto é o casamento feliz de dois materiais (a bucha vegetal da Eco Buchas e o couro vegetal da Treetap) . Neste objeto, o sabonete fica alojado em seu interior. Para produzir espuma, basta esfregar a saboneteira no corpo com água. O fato de o sabo¬nete ficar alojado em seu interior evita que a mão resseque pelo excesso de contato com o produto e facilita o manuseio, uma vez que o sabonete já esta preso à esponja.

 

Exemplo de ação de marketing digital no Windows Live Messeger

*Texto produzido para o curso MBA – Curso de Especialização em Planejamento Estratégico e Marketing Interativo 

Estatísticas confessam crimes setembro 25, 2008

Posted by Vicente Tardin in marketing.
Tags:
add a comment

Estatística é a arte de espremer os números até que eles confessem. A frase é de um político gaúcho, que o Cesar Paz não identificou. Eu perguntei se seria o Brizola e ele confirmou. Leia no Webinsider: Que gosto tem o bolo publicitário?